É verdade que os links perderão o impacto em SEO?

Declaração de porta-voz da empresa de tecnologia indica mudança no universo SEO


Table of Contents


Ilustração: duas mãos mexem em um notebook. Ao redor, vários ícones representam os links de SEO.

Uma declaração de um dos principais porta-vozes do Google, John Mueller, sacudiu o universo do SEO nos últimos dias. 

No podcast Search Off The Record, ele disse o seguinte: “no futuro, os links não serão tão importantes como fatores de ranqueamento como antes”. No Twitter, reafirmou em resposta a um usuário: “definitivamente, os links não são o fator de SEO mais importante”. 

A seguir, uma série de debates em blogs, fóruns e redes sociais se iniciou. Afinal de contas, há um grande mercado voltado à prática da aquisição de links, tal qual agências de SEO, link building e relações públicas digitais. 

Mas, afinal, o que isso representa para a otimização para mecanismos de buscas? É sobre esse assunto que tratarei neste artigo, colocando minhas próprias impressões sobre o tema. 

Conceitos básicos sobre o tema

Antes de mais nada, há alguns conceitos que precisam ser entendidos antes de se aprofundar no assunto. Vamos falar um pouco sobre eles.

O que são backlinks?

Backlinks são links clicáveis que apontam para outra página na web por meio de um texto âncora. No Brasil, são comumente referenciados como links externos ou links de entrada. 

Particularmente, gosto mais da última opção. Do ponto de vista do administrador do site, são links presentes em páginas externas que direcionam o usuário para uma página interna. Ou seja, proporcionam sua entrada. 

O que é link juice?Dois computadores frente à frente. Deles, saem duas mãos com punhos fechados que tocam uma na outra.

Para o Google, quando uma página insere um link para outra, isso equivale a uma demonstração de confiança. 

Ou seja, uma página concede crédito à outra, repassando autoridade (link juice). Isso influencia diretamente no ranqueamento das páginas de resultado (SERP).

O que é Autoridade de Domínio?

Autoridade de Domínio (Domain Authority) é uma métrica criada pela ferramenta de palavras-chave Moz. Outras ferramentas utilizam nomenclaturas diferentes, mas baseiam-se em uma lógica semelhante. 

  • SEMrush: Authority Score (Pontuação de Autoridade)
  • Ahrefs: Domain Rating (Nota de Domínio)
  • Majestic: Trust Flow (Fluxo de Confiança)

Em suma, trata-se de um número que varia de 1 a 100 e que avalia a qualidade e a quantidade de backlinks que apontam para um determinado domínio. Ou seja, representa analiticamente a força e a reputação na web. 

Quanto maior a Autoridade de Domínio de um site, maior a confiança do Googlebot em posicionar páginas, subdomínios e subpastas no topo do ranking.

Ou seja, é possível que um único link em uma página com alta Autoridade de Domínio tenha maior influência no ranqueamento que vários links em páginas de baixa.

Por conta disso, emergem várias práticas que vão contra as diretrizes do Google, como a compra, a venda e a troca de links, as redes privadas de blogs (PBNs) e as “fazendas de link” (link farm), que são sujeitas a punições.

O que é Autoridade de Página?

A Autoridade de Página é uma métrica similar à Autoridade de Domínio. Mas, como o próprio nome diz, se refere a páginas individuais. Ambas são consideradas fatores de ranqueamento importantes para o Google.

checklist-seo

Os links estão perdendo relevância como fator de ranqueamento no Google?

Agora chegamos ao X da questão. Durante muitos anos, profissionais de SEO enxergaram os links de entrada como um dos principais fatores de ranqueamento, assim como a correspondência de palavras-chave e a intenção de busca do usuário

Se você parar para pensar, faz bastante sentido. Afinal, de que outra forma uma ferramenta automatizada deveria avaliar a qualidade dos conteúdos e entregar o resultado esperado por quem realizou a busca?

Aqui chegamos à problemática do algoritmo. A primeira coisa que precisamos estabelecer é que o Google não se importa em como o seu negócio irá monetizar o tráfego orgânico. 

Empresas de todos os tamanhos direcionam seu orçamento à criação de conteúdo para gerar leads, realizar vendas, conquistar cliques em anúncios ou outros objetivos de marketing. 

Essas são práticas que o mercado criou. Para o Google, o importante é entregar ao usuário o melhor resultado possível. 

Contudo, isso traz uma desvantagem competitiva para páginas novas ou com baixa Autoridade de Domínio. 

Ao criar um novo blog post, é muito difícil que páginas de baixa Autoridade de Domínio recebam uma classificação acima de uma página de alta, mesmo que tenham um conteúdo de maior qualidade. 

As declarações de Mueller são um indício de que a inteligência artificial do Google está sendo aprimorada para isso. Uma das principais indicações foi o Helpful Content Update, atualização lançada em meados de 2022 que visa priorizar a qualidade do conteúdo criado por pessoas e para pessoas.  

Ou seja, é provável que em um futuro breve, páginas de menor autoridade tenham uma possibilidade palpável de concorrer com outras com maior número de links de entrada. 

É nada menos que a priorização do conteúdo útil acima da referenciação. O que faz todo o sentido. Nem sempre a página com maior número de backlinks é a mais valiosa. 

O Google indica que, com o aperfeiçoamento do algoritmo, a tendência é que seja capaz de identificar quais são as melhores respostas para as dúvidas do usuário, o que foi confirmado pelas palavras do próprio John Mueller.

Em termos diretos, ele diz que os links têm sua importância, mas perderão a força na medida em que o algoritmo se torna capaz de identificar boas páginas de outras maneiras. 

Isso, de certa forma, impacta diretamente na forma como vemos o SEO hoje. 

Empresas grandes investem muitos recursos na aquisição de backlinks. Já pequenos e médios negócios muitas vezes têm dificuldades para criar conteúdos, quiçá direcionar parte do orçamento para link building e assessoria de imprensa, duas das técnicas mais conhecidas para adquirir links legítimos. 

Essa é uma tendência que emerge para equilibrar a balança e focar o resultado final: a solução dos problemas do usuário que realiza a pesquisa. 

“Se tudo que você lê usa o termo ‘link juice’, provavelmente está errado, e você deveria focar no básico em vez de se preocupar com isso. Faça um site, observe os logs do seu servidor, aprenda como a busca funciona, entenda os seus usuários. Faça um site melhor”, finaliza o porta-voz do Google. 

O que podemos aprender com isso?Uma mão segurando um envelope sai de um notebook. Do outro lado da imagem, um balão de diálogo com uma mão fazendo sinal positivo.

Como quase tudo em SEO, a resposta é incerta. 

Para mim, é uma indicação clara do que já foi frisado no Google Helpful Content: foque na qualidade do conteúdo

Se você tem um site com um bom layout, carregamento rápido e que proporciona uma boa experiência ao usuário, deve voltar os esforços à criação de peças de conteúdo úteis e originais. 

Além disso, é preciso frisar a importância da autoridade de tema (ou força temática) de um website. Se o seu site é voltado a cavalos, você não irá ranquear para porcos. 

Enquanto isso, os elementos de SEO on e off page continuarão a exercer um papel importante, mas perderão o impacto no ranqueamento gradativamente ao longo do tempo.

Se você gostou deste texto e pretende iniciar ou aperfeiçoar a produção de conteúdo do seu negócio, entre em contato conosco. Será um prazer dialogar sobre o que podemos fazer juntos para gerar resultados para sua marca.

Nova call to action

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber tendências e análises sobre as melhores práticas de marketing digital

Últimos Posts