Índice de Conteúdo: o que é e sua importância para o Google

Além de proporcionar melhor experiência ao leitor, o table of content também influencia ranqueamento do principal mecanismo de busca

Table of Content

Ilustração: mulher apontando para um sumário Sabemos que a maioria das pessoas não leem 100% dos conteúdos que encontram na web. Então, como facilitar a vida delas, logo de cara, antes mesmo de um texto começar? Mostrando o que vão encontrar se forem persistentes e rolarem o scroll mais um pouco.

O índice de conteúdo cumpre esse papel. E é ainda mais importante quando o texto em questão é muito grande. O internauta que queria tirar uma dúvida específica pode desanimar de navegar naquela página que parece interminável. Mas se houver um sumário com um tópico linkável só sobre sua dúvida, ele vai respirar aliviado: “É aqui mesmo que vou encontrar o que eu procurava!”

O conceito não é novo, claro. Já somos beneficiados com os índices e sumários há muitos séculos, nos livros. Na verdade, eles são ainda mais úteis no formato impresso, em que não temos a mágica do Ctrl+F para encontrar termos ou expressões. 

Mas o fato é que um pouco de organização sempre foi bem-vinda, e os índices são parte importante dessa premissa.

O que é um índice (table of contents)?

O índice de conteúdo, sumário ou table of contents é um resumo dos principais tópicos abordados em um artigo na internet, que aparece logo no início do texto, ou destacado antes mesmo de ele começar.

Funciona como uma forma de mostrar ao leitor o que ele vai encontrar naquele texto, antes de começar a leitura. Ou seja, facilita e melhora a experiência do usuário naquela página.

Além disso, o índice agiliza a navegação, porque é possível colocar links no table of contents, que vão levar o internauta direto para aquela resposta específica que ele está procurando, poupando seu tempo.

Por exemplo, neste artigo, o sumário ficaria assim:

Table of contents

  • O que é um índice (table of contents)?
  • O índice (table of contents) é um fator de ranqueamento?
  • Por que os subtópicos de um texto devem conversar entre si?
  • Como criar um table of contents?

 

Agora imagine que você chegou até este artigo em busca de um guia de como criar um table of contents. Você já sabe o que é esse índice de conteúdos, já sabe sobre fatores de ranqueamento, sabe de sua importância, mas quer aprender a criar um.

Nesse caso, você já pode clicar no link do sumário, lá no alto da página, e ele te levará diretamente ao último tópico deste post, poupando seu tempo.

O índice (table of contents) é um fator de ranqueamento?

Uma mão apontando para uma lista

Sim, o índice pode ajudar o Google a ranquear melhor um site. Motivo: ele facilita a experiência do usuário, melhora a navegabilidade e experiência de leitura de uma pessoa em uma página da web.

Assim como, por exemplo, o uso de infográficos, de imagens ilustrativas, de tópicos e subtópicos, bullets (listas), negrito para destacar trechos importantes, entre outras estratégias.

No artigo “Os 7 principais fatores de ranqueamento do Google”, listamos a experiência do usuário como um dos principais.

Com a ressalva de que o Google não divulga todos os fatores usados por seus algoritmos para ranquear um site. Não existe uma lista oficial ou algo assim, então muita coisa que circula na internet é mera especulação.

Mas o Google já divulgou um guia com boas práticas de SEO para iniciantes. E, com base nessas boas práticas, que certamente são levadas em conta pelos algoritmos do buscador, listamos os fatores abaixo como relevantes para o ranqueamento dos sites:

 

O site da Conversion, no artigo “Os 137 fatores de ranqueamento mais importantes do Google”, aponta o índice como um auxílio não só para o usuário encontrar a informação que precisa, mas também para o robô do Google “saber sobre o que aquele conteúdo se desenvolve”.

E diz que a prática funciona especialmente bem em conteúdos muito grandes, ajudando na linkagem interna.

O estrategista de SEO da Prosperidade Conteúdos, Lucas Amaral, também destaca que a inclusão de um table of contents é um importante recurso de análise de SEO e uma das práticas que devem ser adotadas no momento de otimizar um conteúdo.

Por que os subtópicos de um texto devem conversar entre si?

Quando você escreve um texto, deve pensar em um conteúdo que seja coeso, que tenha coerência e fluidez, que tenha “começo, meio e fim”. É o que a gente aprende desde os primeiros anos de escola, certo?

Não faz sentido fazer um texto sobre A e de repente mudar de assunto para B, pegando o leitor de surpresa.

Os tópicos e subtópicos de um texto devem seguir esta mesma lógica, respondendo às principais questões propostas por aquele texto, desenvolvendo melhor uma ideia, levando o leitor a um próximo estágio de aprofundamento sobre determinado tema.

Por isso, os tópicos devem ser correlacionados, claros, objetivos e deve-se evitar ainda uma repetição desnecessária de um mesmo assunto, que vai apenas tomar mais tempo do leitor, sem agregar nada de valor a ele.

Agregar valor ao leitor: este deveria ser o objetivo de todo conteúdo. A pessoa tem que terminar a leitura de um texto sentindo que teve suas dúvidas esclarecidas, de preferência sem sofrer muito no meio do caminho com um blablablá monótono e desinteressante.

Como criar um table of contents?

O primeiro passo é se perguntar o que você pretende responder, ensinar, esclarecer ou compartilhar com aquele texto, com aquele conteúdo.

A criação de tópicos deve surgir de forma natural a partir desse propósito geral, ao longo da construção do texto.

Os tópicos devem quebrar o texto, para facilitar sua leitura, e permitir que um assunto mais complexo seja dividido em subtemas menores, que ajudem a destrinchar o conteúdo todo.

Uma vez criados os tópicos, e depois de já terminado o texto todo, crie um sumário ou índice listando cada um desses tópicos. Os subtópicos e subitens devem estar recuados à direita, mostrando que são parte do item anterior.

Por exemplo, este é o table of contents do nosso artigo “Pesquisa de palavras-chave: saiba como fazer uma”:

Exemplo de table of content

Repare que no item “Como fazer uma pesquisa de palavra-chave?”, existem 10 subitens trazendo este passo a passo. E mais: no subitem número 2, “Escolha uma ferramenta”, existem outros 5 campos, que aparecem recuados.

Todos eles são linkados diretamente à parte do texto que aborda aquela questão. Então, desde o início, o leitor que quer saber sobre “adequação à persona”, por exemplo, pode clicar direto no item 8 lá embaixo, e será direcionado a uma parte final do texto que traz essa informação/resposta.

A criação de conteúdos é parte de uma estratégia de marketing muito poderosa, que está sendo abraçada por praticamente todas as empresas do mundo. Quer saber mais sobre essa estratégia e como ela ajuda a conquistar novos clientes para uma marca? Veja nosso guia completo de estratégia de conteúdo.

Nova call to action

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber tendências e análises sobre as melhores práticas de marketing digital

Últimos Posts