featured-image
Blog / Marketing de conteúdo /

O Guia do Marketing de Conteúdo para Educação

O Guia do Marketing de Conteúdo para Educação

clock icon

Tempo de leitura: 5 min

18 de Agosto de 2022 | 10:30

author icon

Escrito por: Lucas Amaral

Muitas dúvidas pairam no ar quando o assunto é marketing de conteúdo para educação. 

Afinal de contas, trata-se de um setor no qual a confiança dos alunos é essencial e tem a responsabilidade de transformar pessoas por meio do ensino. 

Escolas, pré-escolas, creches, universidades, centros educacionais, cursos, treinamentos, ensino à distância, pré-vestibulares, escolas de idiomas, professores independentes. Muitas são as instituições de ensino que podem se beneficiar da estratégia de conteúdo para gerar credibilidade, atrair e aumentar o índice de retenção de alunos. 

Em um segmento alicerçado pelo conhecimento, essa é a melhor forma de melhorar a reputação da IE e adquirir cada vez mais clientes. 

Se você quer saber mais sobre o marketing de conteúdo para educação, continue a leitura. No texto a seguir, saiba como ele funciona e tudo que essa ação pode fazer pela sua escola. 

Como funciona o marketing de conteúdo para educação?

O marketing de conteúdo é uma ação de marketing online que visa prestar um serviço ao consumidor antes mesmo de ele se tornar um cliente (e prosseguir com ele mesmo após a conversão). 

A grande vantagem dessa estratégia é que as escolas são compostas por profissionais cuja matéria-prima é a base do marketing de conteúdo: o conhecimento. 

O conteúdo é distribuído por meio de canais digitais como: 

  • Site Institucional
  • Blog corporativo
  • Redes Sociais
  • Email Marketing
  • Aplicativos de Comunicação
  • Entre outros. 

A ideia é utilizá-lo como maneira de atrair os estudantes, estreitar relacionamentos, gerar confiança entre instituição e aluno e, por fim, adquirir mais uma matrícula. 

É por essa razão que é comumente utilizado em comunhão com o inbound marketing, método que utiliza múltiplos canais de comunicação em um sistema conhecido como funil de vendas.  

Mas não para por aí. No segmento da educação, é esperado que o aluno permaneça fidelizado, completando seus estudos ou adquirindo novos cursos e especializações. 

É por isso que a criação de conteúdo relevante nunca para, sendo utilizada como máquina para manter os estudantes engajados e facilitar a vida daqueles que aprendem. 

Quais são os formatos de conteúdo para instituições de ensino?

Imagem abstrata: uma mão com um megafone sai de uma tela de celular e se posiciona próxima a uma orelha.A web nos proporciona uma série de recursos para engajar os estudantes. Cada um deles possui diferentes características e níveis de complexidade para elaboração. 

Vamos conhecer algumas das opções a seguir. 

Blog posts

Os blog posts são a principal porta de entrada para atrair visitantes que ainda não conhecem a instituição de ensino. 

Isso porque aparecem nos motores de pesquisa, especialmente o Google, responsável pelo maior número de buscas no Brasil e no mundo. 

Por isso, os textos devem ser criados com foco em SEO (Search Engine Optimization ou Otimização para Mecanismos de Busca), estratégia cujo foco é levar as páginas de um blog corporativo ao topo da página de resultados

Para isso, são aplicadas técnicas de otimização de conteúdo como uso de palavras-chave, links internos, link building, design de conteúdo, entre outras. 

Posts em redes sociais

As redes sociais são locais virtuais onde as pessoas se encontram. Por isso, vale a pena estabelecer uma forte presença digital nessas praças online. 

Contudo, é preciso ter em mente que elas não servem apenas para promoção, mas também como um ambiente de interação entre instituição e aluno. 

Algumas utilizações interessantes para as redes sociais de IE são: 

  • Conteúdo educativo complementar ao aprendizado em sala de aula
  • Fotos de eventos escolares
  • Divulgação de trabalho dos alunos
  • Notificação de eventos como lives e aulas online
  • Conquistas dos professores e profissionais da instituição
  • Indicação de materiais extras.

Lembre-se: tais mídias podem elevar muito o engajamento dos alunos. E, quando engajados, há melhoria na performance individual e fidelização dos mesmos. 

Podcasts, webinários e debates

Os podcasts são um formato de conteúdo voltado a entrevistas, normalmente em áudio ou vídeo, de uma maneira bem similar aos webinários e debates.  

Eles podem contar com a participação dos alunos, que enviam perguntas e sugestões. Ou, possivelmente, até mesmo participarem ativamente das transmissões como entrevistadores e entrevistados. 

Essa é uma boa oportunidade para manter a proximidade com os estudantes fora da escola e tratar de assuntos relevantes os quais não puderam ser incluídos na grade estudantil.

Materiais ricos (planilhas, ebooks etc.)

Os materiais ricos são aqueles que exigem uma maior complexidade na produção, mas podem auxiliar muito os estudantes durante o período de aprendizado. 

Alguns exemplos são: 

  • Planilhas
  • Agendas
  • Ebooks e artigos acadêmicos
  • Apresentações de slides
  • Infográficos
  • Guias de carreira
  • Templates
  • Fóruns virtuais
  • Quizzes
  • Estatísticas
  • Calculadoras
  • Plugins.

Ou seja, tudo aquilo que gera utilidade para o estudante. Além de servirem para auxiliar os matriculados na instituição, também servem para atrair potenciais alunos. 

Nesse caso, contudo, é necessário abri-lo ao público e solicitar algumas informações valiosas em troca, especialmente o email, elemento essencial para o próximo formato. 

Fluxos de nutrição de emails e newsletters

Os fluxos de nutrição de emails são sequências de mensagens automatizadas que são lançadas mediante a uma ação do aluno. 

Por exemplo, você pode oferecer alguns cursos por email. Assim, quando o usuário solicita a inscrição em um deles, passa a receber em sua caixa de entrada um pedaço do conteúdo a cada dia, semana ou mês, por exemplo. 

Essa é uma ótima maneira de identificar potenciais alunos, pois quem se cadastrou já demonstrou interesse por um tema que a sua instituição de ensino trata na sala de aula. 

Além disso, trata-se de alguém que solicitou a comunicação por conta própria, eliminando o caráter publicitário da mensagem. 

Já as newsletter são redigidas em períodos esporádicos e contém novidades, dicas, curiosidades e outras informações úteis para quem já é matriculado ou clientes em potencial. 

As possibilidades são infinitas por meio do canal de email. Existem instituições que enviam tarefas, notas ou comunicados por meio dessa ferramenta, que permite estreitar os laços com os acadêmicos. 

Como aplicar o marketing de conteúdo para educação?

Ilustração: um notebook com as informações de contato da Prosperidade Conteúdos.Para aplicar o marketing de conteúdo para educação é preciso colocar a mão na massa e investir na essência da estratégia: a produção de conteúdo. 

Contudo, essa não é uma tarefa fácil. Por isso, se você deseja contar com um parceiro especializado em conteúdo para educação, entre em contato com a Prosperidade Conteúdos

Para nós, será um prazer debater sobre as suas necessidades e as de seus alunos. Esperamos por você!

Nova call to action

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber tendências e análises sobre as melhores práticas de marketing digital

Últimos Posts