Passo a passo para fazer uma boa curadoria de conteúdo

Entenda o que é e saiba como colocá-la em prática no marketing digital


Tabel of Contents

Ilustração: menino olhando em um binócolo

O curador ou curadora é, originalmente, aquele profissional dedicado a selecionar obras para uma exposição, mostra ou museu.

Ou seja, é uma função extremamente delicada e importante, que requer, antes de mais nada, expertise do profissional naquele assunto.

Quem faz uma curadoria tem que ter boas referências dentro daquele universo para o qual as obras serão selecionadas. E um olhar aguçado para o que vai interessar ao público esperado naquele universo.

Quando falamos de curadoria de conteúdo não é diferente. Aqui, temos um profissional que entende bem dos conteúdos produzidos por sua empresa e faz uma seleção de outros conteúdos dentro daquele universo, que também poderão interessar ao seu público.

Depois de selecionados, esses conteúdos são compartilhados via redes sociais, blogs ou newsletters, por exemplo.

Mas como fazer isso na prática? E quais as vantagens da curadoria? É o que mostraremos neste artigo!

O que é curadoria de conteúdo?

Curadoria de conteúdo é uma seleção de conteúdos postados por outras pessoas ou empresas para serem compartilhados ou republicados nas redes sociais ou outros canais da sua marca.

Trata-se de uma prática comum na internet, desde que dados os devidos créditos para a postagem original, e que traz inúmeras vantagens, que vamos listar no próximo tópico.

O importante é que:

  • o conteúdo selecionado na curadoria tenha a ver com a proposta da marca que vai compartilhá-lo;
  • o conteúdo seja útil e/ou valioso para o público-alvo da marca que fez a curadoria;
  • ele complemente a estratégia de conteúdo da marca, ou seja, não pode ser a única estratégia – a menos que a marca seja especializada em compartilhar conteúdos dos outros sobre um determinado assunto, ou seja, que a curadoria seja sua atividade-fim.

Vamos dar um exemplo de curadoria de conteúdo.

A página de Instagram @pediatriaintegralbr, do médico Daniel Becker, tem mais de 560 mil seguidores. Boa parte dos posts são vídeos do pediatra trazendo dicas ou conselhos para pais e mães, ou sobre saúde pública, por exemplo. Ou seja, conteúdos próprios.

Mas, vez por outra, ele republica conteúdos de outras páginas, que têm a ver com seu perfil e que vão agregar valor para seu público.

Exemplos recentes que ele postou:

  • um vídeo do médico Drauzio Varella, que também é uma figura pública e referência em saúde no Brasil;
  • uma charge do perfil @NYTparenting sobre crianças que fazem birra;
  • um trecho da entrevista do cientista @sidarta_ribeiro para o programa Roda Viva;
  • um carrossel de prints de sites noticiosos, como g1, Folha de S.Paulo e Agência Brasil, sobre a queda da cobertura vacinal no país.

Todos esses posts têm em comum o fato de:

  • terem a ver com os conteúdos produzidos pelo perfil do médico Daniel Becker, ou seja, tratarem de assuntos relacionados a saúde, infância, criação de filhos etc;
  • agregarem valor para o público-alvo que já frequenta a página do médico;
  • e todos foram introduzidos por um comentário – mais ou menos breve – pessoal do médico, que ajuda a criar uma conexão entre aquele conteúdo que ele selecionou em sua curadoria, para ser compartilhado em sua página, e o que ele pensa do assunto.

Ao fazer uma curadoria, ele está dizendo a seus seguidores: “Esse post, feito por outra pessoa/empresa/marca, é relevante. Não foi feito por mim, mas recomendo sua leitura da mesma forma.”

Essa curadoria não precisa ser sempre com o propósito de agregar informação. Pode servir para vários fins, inclusive para gerar engajamento por meio do humor.

Um exemplo disso: toda sexta-feira, a página de Instagram @contente.vc posta um carrossel de memes que têm duas coisas em comum:

  • são sobre o universo da internet
  • e são engraçados.

Trata-se de uma curadoria de conteúdo voltada para o humor, que faz sentido para a estratégia de marketing dessa marca porque ela tem, como seu principal mote, promover o bem estar digital e uma relação mais saudável com a internet.

Considerando que sexta-feira é o começo do fim de semana, posts com características mais leves são ainda mais bem-vindos nesse dia.

Os memes que eles compartilham geralmente são posts feitos por pessoas comuns, como eu e você, que viralizaram no Twitter ou Instagram, justamente por serem muito engraçados.

E, claro, como mandam as boas práticas da curadoria (que também esmiuçaremos mais adiante neste artigo): todos os autores das frases engraçadas são devidamente creditados no post compartilhado.

Qual é a importância da curadoria de conteúdo?Uma mão mexendo no celular

Fazer curadoria de conteúdo pode ser enriquecedor em vários sentidos! A seguir, listo alguns deles:

1. Para virar uma referência

Se você tem uma página ou perfil dedicados a falar sobre criação de filhos, por exemplo, você já pode se tornar uma referência nesse assunto a partir dos conteúdos que você mesmo produz.

Mas, ao compartilhar outros conteúdos valiosos, você está comunicando ao seu público que eles poderão encontrar informações de qualidade sobre todo o universo de parenting em um único lugar, porque, além de acessarem sua expertise, eles ainda vão poder acessar os melhores conteúdos de outros especialistas no assunto, selecionados a dedo por um grande entendedor, que é você!

Uma página que compartilha bons conteúdos de outras páginas denota desprendimento. É como se o curador dissesse que não se importa se seu público também gostar do concorrente – o importante é que o público, sempre que navegar por ali, se sinta satisfeito. 

Essa é uma visão extremamente estratégica dentro do conceito de user experience, que é, em resumo, a preocupação com que o usuário-internauta tenha a melhor experiência possível. E isso é cada vez mais valorizado não só pelos clientes de modo geral, mas também pelo Google.

2. Para agregar valor à produção própria

Seu conteúdo é de qualidade, e é valorizado por seu público por isso. Mas, ao compartilhar conteúdos de outras pessoas ou marcas, você pode agregar outros valores à sua própria produção.

O outro utiliza textos diferentes, artes diferentes, talvez seja especializado em formatos com os quais você não trabalha.

Por exemplo, digamos que sua página produza apenas vídeos para Instagram sobre o assunto do seu nicho. Ao compartilhar um belíssimo infográfico animado feito por outra página, você vai agregar valor com um recurso que você não costuma produzir, o que só beneficiará sua página como um todo.

3. Para diversificar os conteúdos para seu público

Isso tem relação direta com o que dissemos no tópico anterior.

Quanto mais diversificado, rico e enriquecedor for o conteúdo oferecido em uma página, melhor para o público que frequenta aquele espaço.

Ele não vai se importar se for de outro autor: se o autor em quem ele confia está recomendando aquele material, e se for sobre o assunto de interesse do público, ele se sentirá grato pela diversificação.

A curadoria permite democratizar bons conteúdos por meio do compartilhamento, que é um recurso que existe em todas as redes sociais – e que bom que existe!

4. Para economizar tempo

Produzir conteúdo dá um trabalho imenso. Não é à toa que existem agências especializadas nisso, como esta Prosperidade Conteúdos, que tem expertise em qualidade e personalização máxima do que é feito para cada cliente.

É preciso pensar na pauta, apurar as informações em fontes qualificadas, escrever textos claros e interessantes, produzir infográficos e outras peças de arte que ofereçam uma boa experiência de leitura ao público-alvo, compartilhar nos canais de comunicação certos etc.

Toma tempo. Quanto maior for a qualidade do conteúdo como um todo (incluindo aí tanto as informações quanto o texto final e o design), maior é o trabalho envolvido.

Ao fazer uma curadoria de bons conteúdos feitos por outras páginas, você pode intercalar sua produção própria com a de outras pessoas, manter uma entrega valiosa para seu público e ainda economizar tempo.

5. Para construir relacionamentos

Quando você compartilha o conteúdo de outra página, obviamente dando o devido crédito para o post original, você está construindo uma relação com aquela página.

Está dizendo a ela: “Eu valorizo o que você produz. Eu recomendei o que você fez.”

Esse gesto facilita a criação de networking entre pessoas ou marcas que são referências em um determinado assunto.

Ou seja, logo mais, será a outra página que vai compartilhar conteúdo seu.

Ao fazer isso, aumentam as chances de você se tornar conhecido entre outros públicos, ampliando sua rede de contatos ou de potenciais clientes.

O Google também valoriza muito essa troca, que ajuda a conferir AUTORIDADE às páginas, quando são muito citadas ou linkadas por outras páginas.

Autoridade é um dos pré-requisitos para um post aparecer nos primeiros lugares dos resultados de busca.

Como fazer uma curadoria de conteúdo?Um computador e um barco de papel com uma lupa

Para facilitar, dividi o processo em 4 passos bem simples. Veja a seguir:

1. Monitoramento de conteúdos

O primeiro passo é acompanhar as páginas ou perfis de pessoas, empresas ou instituições que atuem na mesma área que você.

Você pode fazer isso manualmente ou por meio de ferramentas, como o Feedly, o Google News ou o Hootsuite, que ajudam a monitorar páginas ou tópicos de interesse.

2. Seleção dos conteúdos (a curadoria propriamente dita)

Depois, selecione aqueles conteúdos que mais vão agregar à sua página ou perfil. 

Lembre-se: 

  • eles devem ter a ver com o seu público-alvo,
  • trazer valor para a experiência de quem já te segue
  • e ter alguma relação com o que você faz, atuando de forma complementar aos seus conteúdos próprios.

3. Organização das datas

Em seguida, organize um calendário para mesclar seus conteúdos próprios com esses selecionados por sua curadoria.

Como já dissemos, a menos que sua página tenha a curadoria como atividade-fim, o ideal é que você intercale posts próprios com os selecionados de outros lugares.

4. Postagem (com boas práticas)

Por fim, ao fazer o compartilhamento daquele conteúdo, não se esqueça de:

  • colocar os devidos créditos para o post original, com autores e link;
  • tecer suas próprias considerações sobre o conteúdo, que podem ser curtinhas (algo como: “Recomendo a leitura deste artigo!”) ou mais longas, explicando por que você decidiu compartilhar esse texto, talvez linkando para outros conteúdos correlatos que você já produziu etc.

 

Quer uma ajuda de profissionais especialistas para fazer uma curadoria em seu site ou rede social? Entre em contato conosco e poderemos ajudar!

Nova call to action

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber tendências e análises sobre as melhores práticas de marketing digital

Últimos Posts