O Guia do Marketing de Conteúdo para Ecommerce

Saiba como usar o marketing de conteúdo na sua loja virtual


Table of Contents


A imagem mostra um celular ao lado de várias sacolas de compras e mensagens relativas a pedidos, representando o marketing de conteúdo para ecommerce.O marketing de conteúdo para ecommerce ganha cada vez mais força no ambiente digital. 

A Shopee Brasil, por exemplo, investe em um hub de conteúdo prático para auxiliar os consumidores na hora da decisão de compra. 

Já a DafitiMag é uma conhecida loja virtual de roupas que traz aos usuários dicas de moda. 

Ao mesmo tempo, o blog da Netshoes investe em conteúdo esportivo e informações sobre estilo de vida, adaptando-se ao seu público-alvo. 

Contudo, as estratégias de conteúdo não funcionam apenas para grandes marcas. Pequenos e médios negócios também podem se aproveitar dessas ações. 

Então, se você deseja saber mais sobre o marketing de conteúdo para ecommerce, continue a leitura deste artigo. A seguir, descubra como funciona e quais são os principais formatos utilizados nessa estratégia. 

Como funciona o marketing de conteúdo para ecommerce?

O marketing de conteúdo para ecommerce funciona em um sistema que visa atrair novos clientes por meio da criação de conteúdo relevante. Ou seja, uma maneira de auxiliar os usuários antes mesmo de ele efetuar uma compra. 

Contudo, esse modelo estratégico vai além e também funciona como um fator de retenção, assegurando a fidelidade dos compradores. 

Esse é um fator essencial, especialmente no segmento de lojas virtuais, nos quais se espera que um cliente volte a realizar uma compra. 

O conteúdo para ecommerce apresenta características relativas a diferentes estágios dentro da jornada do cliente

Comumente é associado a uma estratégia de funil de vendas para que todas as ações sejam sistematizadas em um processo que visa atrair, converter, aproximar e fechar um negócio. 

Para facilitar a compreensão, vamos recorrer a um exemplo. 

Fernanda, uma praticante de esportes radicais, deseja iniciar na prática do parapente. 

Como iniciante, ela realiza uma busca no Google e utiliza o termo “como começar a praticar parapente” e se depara com um texto com o seguinte título: 

  • O Guia do Parapente para Iniciantes

Ocorre que esse post foi estrategicamente criado por uma loja virtual que vende produtos para esportes radicais. Ao atrair Fernanda por meio dos motores de pesquisa, é gerada uma oportunidade de negócio. 

Apesar disso, é fácil perceber que Fernanda ainda não está preparada para receber uma oferta. Por isso, ao fim do texto, ela é convidada para se inscrever em uma newsletter sobre parapente. Ou, talvez, seguir a página da empresa nas redes sociais. 

Ao entregar conteúdo valioso por meio de outros canais (como links para outros blog posts ou dicas sobre o esporte), uma relação é alimentada. 

Assim, quando precisar realizar uma compra, o ecommerce em questão tem uma vantagem frente aos concorrentes, pois já foi estabelecida a confiança entre consumidor e marca. 

Quando surgirem promoções, por exemplo, as chances de Fernanda comprar são muito maiores, pois ela enxerga a loja como uma autoridade no assunto. 

Com uma boa prestação de serviços e produtos de qualidade, as chances de a consumidora retornar são altas.

Esse é o poder do marketing de conteúdo para ecommerce, uma forma de engajar potenciais compradores e fazer com que se tornem clientes leais de longo prazo. 

Quais são os formatos de conteúdo para lojas virtuais?

Uma porta aberta, de onde saem sacolas de compras.Existem diversos formatos de conteúdo que podem ser utilizados no marketing para ecommerce. 

Por essa razão, é necessário utilizar-se de inteligência estratégica para definir em quais canais e os moldes para os quais os esforços serão direcionados. 

Apesar disso, existem aqueles que são frequentemente utilizados em lojas virtuais. Abaixo, conheça alguns dos principais. 

Blog Posts

Os blog posts compõem a matéria-prima do marketing de conteúdo. Para isso, é necessário ter um blog corporativo centrado na persona do negócio. 

Uma das grandes vantagens desse canal é que as pessoas podem adentrar em diferentes estágios, podendo estar distantes ou próximas da conversão. 

Mantendo o exemplo citado anteriormente, sobre uma loja virtual que vende produtos relacionados a esportes radicais, vamos observar alguns títulos de posts para cada etapa do funil. 

  • Topo de funil (descoberta): Confira 5 esportes radicais para praticar em zonas urbanas
  • Topo de funil (interesse): Slackline: saiba como começar nesse esporte
  • Meio de funil (consideração): Como escolher um kit para praticar slackline?
  • Fundo de funil (intenção): Onde comprar equipamentos de slackline?
  • Fundo de funil (decisão): Os 5 melhores kits de slackline para comprar hoje

Perceba que, para cada um dos textos, o usuário que aterriza tem uma intenção diferente dentro da jornada do consumidor. 

Assim, os artigos cumprem funções distintas no funil de vendas e, portanto, convidam o leitor a diferentes ações. 

Fluxo de nutrição

Os fluxos de nutrição são ativados por meio da inscrição em listas de email. Normalmente, os convites para assiná-las aparecem no fim do texto. 

Essa é uma maneira prática de identificar o interesse do usuário. A partir disso, são enviadas mensagens com dicas e outros conteúdos para o inscrito. 

Quando detectado o alto índice de engajamento, é chegada a hora de fazer uma oferta. 

Fluxo de vendas

Os fluxos de vendas são muito úteis para o ecommerce, já que se utilizam de bases de dados de CRM contendo informações sobre interações e compras anteriores. 

É possível segmentá-las mediante ao comportamento, de modo que uma pessoa que comprou um determinado produto, por exemplo, pode receber apenas dicas e outras ofertas de produtos semelhantes em sua caixa de entrada de email. 

Social posts

Vários aviãozinhos de papel saindo da tela de um smartphone.Outro modelo interessante para engajar o usuário são os social posts, presentes em redes sociais como Instagram, Facebook e Twitter. 

Aqui a ideia é, principalmente, gerar utilidade e fazer com que o usuário interaja com a marca, fazendo com que se apegue a ela. 

Anúncios

A mídia paga também pode ser utilizada para divulgar conteúdo. 

Ao atrair potenciais compradores para as páginas de um site, visando oferecer conteúdo valioso, é possível ativá-las no funil de vendas. 

Nesse modelo é muito comum que as marcas invistam somente em links patrocinados que levem diretamente às páginas de produto. No entanto, acionar esse recurso para entregar materiais valiosos pode ser uma boa ideia. 

Vídeos

Os vídeos têm um alto poder de retenção de atenção do usuário. Por conta disso, são extremamente úteis como formato de conteúdo. 

Alguns tipos que podem agradar à persona de ecommerce são: 

  • Tutoriais: informações sobre como usar o produto no dia a dia
  • Como fazer: dicas sobre como realizar alguma atividade relacionada ao produto
  • Reviews: unboxings, comparativos e detalhamento de produtos.

Aplicar o marketing de conteúdo para ecommerce é uma tarefa que exige bastante trabalho, mas que pode trazer resultados permanentes. 

Então, se você deseja contar com uma agência especializada no assunto, entre em contato conosco. Será um prazer avaliar as suas necessidades e elaborar uma estratégia personalizada para a sua loja online. 

Nova call to action

ARTIGOS RELACIONADOS

NEWSLETTER

Cadastre-se para receber tendências e análises sobre as melhores práticas de marketing digital

Últimos Posts